Investigação arqueológica no Vale do Rio Iratim, região sul do Paraná

Investigação arqueológica no Vale do Rio Iratim, região sul do Paraná

Desde que iniciou suas atividades, no ano de 2011, a equipe da Espaço Arqueologia já realizou dezenas de projetos nas regiões sul e sudoeste do Paraná, sendo que boa parte deles foi desenvolvida no âmbito de processos de licenciamento de empreendimentos do setor elétrico.
Um dos primeiros projetos, executado na área de influência de uma linha de transmissão que liga a PCH Passos Maia (SC) à subestação de Palmas (PR), teve como objetivo a escavação de um sítio arqueológico composto por estruturas que, na bibliografia brasileira, são comumente chamadas de “casas subterrâneas”.
Esses sítios são caracterizados como depressões circulares escavadas no solo e que, de acordo com os estudos realizados, eram utilizadas como habitação por grupos indígenas da família linguística Jê Meridional.
Ao escavar o interior das casas/depressões que compõem esses sítios, geralmente são encontrados fragmentos de potes cerâmicos, fogueiras e instrumentos líticos lascados e polidos, demonstrando haver grande atividade nestes espaços.
A cronologia para esse tipo de sítio não é das mais antigas, não ultrapassando 2 mil anos, e as mais recentes indicam que esse tipo de estrutura era construído até a metade do século XIX.
Em projetos mais recentes, como da PCH Vila Galupo no município de Bom Sucesso do Sul, e da UHE Baixo Iguaçu, em Capanema, ambos no estado do Paraná, foram encontrados e escavados sítios mais antigos, com datações de até 8 mil anos, compostos apenas por materiais líticos lascados que provavelmente foram produzidos por populações de caçadores-coletores.
No vale do Iratim, na área em que será instalada a PCH Foz do Estrela, mais sítios foram escavados. Entre eles, sítios líticos e lito-cerâmicos que indicam que essa área era ocupada há pelo menos 2 mil anos, e que as populações que ocupavam esse território possuíam diferentes estratégias de utilização e interação com a paisagem.
Nos primeiros meses de 2019, nossa equipe voltou à região sudoeste do Paraná para mais um projeto, dessa vez para executar o Projeto de Avaliação de Impacto ao Patrimônio Arqueológico na área de implantação da PCH Catanduva. Ao contrário dos projetos anteriores citados, que já atingiram a etapa de resgate arqueológico, fase em que os sítios são escavados, nesse, ainda se objetiva a identificação de sítios nas áreas em que o empreendimento será instalado.
A PCH Catanduva tem previsão de ser instalada no curso do Rio Iratim, no município de Coronel Domingos Soares, cerca de 12 km de distância da PCH Foz do Estrela. Na área em que será construída, foram realizados caminhamentos e escavados poços-teste para verificação da subsuperfície. Como resultado destas técnicas de pesquisa, foram encontrados dois novos sítios arqueológicos, um lítico e o outro composto por casas subterrâneas.
É provável que ao menos um desses sítios seja escavado e, com isso, espera-se contribuir ainda mais para a arqueologia do Paraná.